A moxa ou moxibustão é uma técnica milenar (500 a.C.) da Medicina Tradicional Chinesa (MTC), que consiste na aplicação de calor nos pontos de acupuntura. Ela pode ser dividida em três tipos: tradicional, medicamentosa ou natural e moderna.

A moxabustão tradicional é a mais conhecida e praticada pelos médicos e consiste na queima da erva Artemísia (Artemisiae vulgaris ou Artemisiae argyi), de forma direta ou indireta, nos pontos de acupuntura. A moxabustão natural faz uso de substâncias irritativas nos pontos, como por exemplo: alho ou semente de mostarda. E a moxabustão moderna inclui moxas elétricas e lasers.

MoxibustãoO estímulo da moxabustão possui diversos efeitos no nosso organismo: térmico (analgesia, microcirculatório, liberação de proteínas do choque térmico), radiativo (infravermelho), farmacológico (aromaterapia). Assim, produz ação nos sistemas neuro-endócrino-imunológico e circulatório, auxiliando no tratamento de algumas doenças.

Pela MTC, a moxabustão desobstrui os meridianos, melhora a circulação de Qi (“energia”) e Xue (“sangue”) pelo corpo, remove o frio e aumenta a “energia” de pacientes debilitados.

Pode ser indicada em casos de: dores musculoesqueléticas; artrose de joelhos; distúrbio de ATM; dismenorréia; cólicas; colites; síndrome do intestino irritável; incontinência urinária; asma; fadiga crônica etc.