A enxaqueca é um tipo de cefaléia primária muito prevalente na população em geral, especialmente nas mulheres (proporção 3:1), que gera incapacitação moderada a grave.

As principais características da dor são:

  • duração de 4 a 72 horas;
  • dor em um lado da cabeça;
  • dor pulsátil;
  • dor moderada a grave;
  • piora com exercícios físicos;
  • associação com náuseas e vômitos;
  • piora da dor com luz e sons.

Diversos fatores podem levar a uma crise de enxaqueca: alterações hormonais, comidas (queijos, chocolate, processados), bebidas (vinho), estresse, luzes forte, má qualidade do sono, excesso de atividade física, mudanças climáticas e medicamentos.

A crise de enxaqueca é composta por 5 fases:

  1. Pródromo (antes da dor): depressão, ansiedade; agitação; fadiga; falta ou excesso de apetite; dificuldade de concentração; rigidez no pescoço; bocejos.
  2. Aura (sintomas neurológicos focais): sintomas visuais (pontos brilhantes, pontos escuros, linhas); sintomas sensitivos (dormência, pontadas); alterações na fala.
  3. Cefaléia: fase de dor.
  4. Fim da cefaléia: melhora da dor.
  5. Pósdromo (depois da dor): mal estar; fadiga; depressão.

O tratamento medicamentoso da enxaqueca é realizado de duas formas:

  • Crises:
    • medicamentos como analgésicos, anti inflamatorios e os triptanos.
  • Profilático:
    • medicamentos como antidepressivos, anticonvulsivantes; betabloqueadores; bloqueadores dos canais de cálcio.
Uso excessivo de medicamentos na enxaqueca.

Cada vez mais a acupuntura é indicada para o tratamento da enxaqueca, tanto durante as crises de dor como também de forma profilática, uma vez que é um meio muito eficaz (comprovado cientificamente), com a grande vantagem de não apresentar os diversos efeitos colaterais das medicações.

Durante as crise pode ser realizado mais de uma sessão de acupuntura na semana. Enquanto no tratamento profilático, pode ser realizado sessões semanais. Técnicas como a aurículo terapia e o Tuina também podem ser utilizadas no tratamento.