Estamos passando por um momento delicado das nossas vidas, onde a preocupação e a ansiedade estão em níveis elevados.

Lidar com uma nova realidade faz aflorar os sentimentos de incertezas e medo; e a mente passa a focar no amanhã, em como viver daqui para a frente diante da política e economia incerta e todos esses pensamentos aumentam a ansiedade.

Dados de pesquisa realizada no Brasil mostram de 45.161 brasileiros respondentes, verificou-se que, durante a pandemia, 40,4% (IC95% 39,0;41,8) se sentiram frequentemente tristes ou deprimidos, e 52,6% (IC95% 51,2;54,1) frequentemente ansiosos ou nervosos; 43,5% (IC95% 41,8;45,3) relataram início de problemas de sono, e 48,0% (IC95% 45,6;50,5) problema de sono preexistente agravado. Tristeza, nervosismo frequentes e alterações do sono estiveram mais presentes entre adultos jovens, mulheres e pessoas com antecedente de depressão.

As elevadas prevalências encontradas indicam a necessidade de garantir a provisão de serviços de atenção à saúde mental e à qualidade do sono, adaptados ao contexto pandêmico.

Fonte: Relato de tristeza/depressão, nervosismo/ansiedade e problemas de sono na população adulta brasileira durante a pandemia de COVID-19

=A ansiedade está relacionada com desequilíbrios metabólicos (obesidade, sedentarismo), alterações de humor, baixa autoestima, má qualidade do sono, perda do tônus muscular, diabetes e hipertensão.

Um dos sintomas comuns da ansiedade é o aumento do apetite e/ou do consumo de bebidas alcoólicas. É quando a fome ou a vontade de beber vem para aliviar uma frustração que aconteceu ao longo do dia, um estresse, uma tristeza, ou qualquer outro sentimento de desprazer. É normal que as emoções interfiram nas nossas escolhas alimentares, o problema é quando se torna frequente a busca do alimento para alívio geral.

O primeiro passo é descobrir o momento que surge este gatilho, identificar o que leva você à comer mais ou beber mais, e se você está neste ciclo vicioso da busca do prazer imediato.

Caso você se identifique com este sintoma, a estratégia é desviar o foco do que não te faz bem e buscar o autocuidado. Realizar exercícios físicos para liberar serotonina, meditar ou até mesmos práticas simples do dia a dia como: tomar um banho relaxante, limpar a casa, lavar a louça, conversar com uma pessoa querida, cuidar de uma planta, ler um livro, escutar uma música ou cantar.

O mais importante é reservar um tempo para cuidar e olhar para você mesmo.

Por isso, manter as emoções equilibradas, é a melhorar estratégia para controlar a ansiedade.

 

Aqui na clínica Hiraoka, contamos com uma equipe multidisciplinar para cuidar, do seu corpo, mente e espírito e conduzir você para o processo de cura, saúde e bem-estar.

Beijos e até a próxima.

Patrícia Anno
Nutricionista CRN3-23366