A Aromaterapia é uma terapia complementar  que proporciona sensação de bem-estar, tanto físico quanto emocional, com a utilização de óleos essenciais 100% puros. Ela mostra que há ligações entre o olfato e os sentimentos. Ao inalar os aromas, os canais olfativos mandam a mensagem diretamente para o sistema límbico, a parte do sistema nervoso que é responsável pelas emoções.

Os óleos essenciais são produzidos em diferentes partes da planta. Podem ser extraídos de raízes, folhas, caule, casca, semente, resina, flores e frutos. Da origem de sua localização na planta podemos conhecer algumas de suas atuações no físico, mental, emocional e espiritual no ser humano.

Devemos entender que AROMATERAPIA NÃO É  o uso de aromas agradáveis, que muitas vezes são sintéticos ou adulterados, usados de forma aleatória sem atender as necessidades físicas e ou psicológicas do ser humano.

Os aromas sintéticos ou essências e óleos reconstituídos ou ainda fracionados são adequados para atender o mercado de perfumaria, alimentação, higiene e medicamentos, pois são manipulados para essas finalidades. Não atendem as necessidades físicas ou psicológicas que visem o equilíbrio geral do ser humano.

 

PRODUTO AROMATERÁPICO PRODUTO AROMÁTICO
  • Usa óleos essenciais puros e completos
  • Usa veículos carreadores adequados
  • Não usa fixadores. Usam-se as notas baixas dos próprios óleos essenciais
  • Usa corante da própria natureza
  • Possui controle de qualidade de cultivo orgânico
  • Possui caráter terapêutico
  • Objetivo é tratamento e não apenas bem estar imediato.
  • Raramente ocasiona reações alérgicas. Quando ocorre é devido a excesso na dosagem
  • Não provoca mal estar. Exceto pela hiper dosagem
  • Usa essência, óleos reconstituídos e fragrâncias.
  • Usa veículos carreadores minerais e sintéticos
  • Usa fixadores.
  • Usa corantes artificiais
  • Não possui controle de qualidade dos possíveis óleos essenciais utilizados. Utiliza-os fracionados
  • Não possui caráter terapêutico
  • Objetivo é proporcionar bem estar imediato
  • Pode ocasionar reações alérgicas
  • Pode provocar mal estar com o uso continuo (ânsia e dores de cabeça)

 

Exemplo do uso de alguns óleos essenciais:

  • Litsea cubeba ( Litsea cubeba ): a inteligência emocional na aromaterapia, a busca e o entendimento das emoções positivas.

É sedativo e antidepressivo. Indicado em todos os estados depressivos que leva a fuga da vontade de viver.

Litsea auxilia a encontrar o equilíbrio entre razão e emoção, ajuda a entender e dar nome as emoções. Transformam sentimentos negativos em entendimento e amor. Ajuda a controlar sentimentos explosivos e irracionais.

  • Lavanda (Lavandula officinalis): equilíbrio total do corpo e da alma

É bactericida, sedativo, analgésico, diurético, antidepressivo.

Atua nos estados de estresse e tensão emocional. Relaxa, produz sono tranquilo e reparador. Traz equilíbrio para a mente. Ajuda nas dores de cabeça e enxaqueca, acalma a pele queimada e traz vitalidade.

Ajuda a resgatar a confiança, a ter mais tolerância e na comunicação (falar em público).

  • Gerânio (Pelargonium graveolens) : “É como um escudo que nos dá segurança, coragem e flexibilidade de ação.”

É tônico, adstringente, antisséptico e regulador hormonal.

É considerado um óleo feminino, pois tem um papel fundamental para auxiliar o equilíbrio hormonal, portanto útil para todos cuidados relacionados a TPM e a menopausa.

O OE de Gerânio eleva o ânimo, a auto-estima, trazendo coragem, confiança e segurança emocional: por isso também considerado um anti-depressivo de grande valor. É um óleo para AÇÃO.

 

Quando usar:

– Como auxiliar no controle hormonal (displasia mamária, TPM, sintomas de menopausa, cólicas);

– Depressão pós-parto;

– Ansiedade nervosa;

– Má circulação (mãos e pés frios);

– Controle de oleosidade (pele e cabelo);

– Vitalidade para a pele – desidratada e seca.

– Aumentar a imunidade – herpes e aftas;

– Estimular a coragem e ação.

 

Carolina Buzolin, naturóloga.